quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Uma Carta para a Tristeza


Querida tristeza,
Sei que muitas vezes tu vens me visitar,
Quantas vezes lhe escutei,
Lhe abracei, lhe acolhi dentro do meu peito.

Quantos dias emprestei meus olhos,
Para que tu pudesses depositar tuas crianças,
Para que pudessem brincar de escorregador em minha face.

Mas hoje, eu parei tudo num momento de desespero e solidão.
Me olhei nos olhos pelo espelho,
E pude ver uma fagulha de luz,
Esta fagulha me disse:
Tudo é passageiro, tudo surge para nos ensinar a valorizar a vida.
Despeça-se da sua amiga, deixe-a partir.
Ou então, convide-a para transformar-se.

Numa noite de muita angústia,
Convidei a tristeza para conversar.
Estendi meus braços para lhe abraçar.
Então, eu disse:
Tristeza, transforme-se em força e sabedoria,
Para que possas continuar a ser minha amiga.
A tristeza respirou fundo e logo quis partir.
E me respondeu: Eu sou a tristeza, faço as pessoas desistirem de seus sonhos, jamais irei mudar. Fiques com tua força e sabedoria, pois nao lhe visitarei mais.

Então a tristeza partiu.
Um alivio invadiu,
E pude ver que, temos que decidir quem habitará dentro de nós.
Que somos nós quem escolhemos diariamente o que comandará nosso dia.

Faça tuas escolhas, meu caro.
E boas reflexões..

Carpe Noctem
LunA Daimon

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba em seu Email os novos Posts publicados aqui