28 de jan de 2016

O Vazio Incerto



O Vazio Incerto
(LunA Daimon )

Quando o vazio lhe bater a porta
Não preste muita atenção,
Ao estender a mão amiga
Logo ele te puxa para o abismo
Abismo louco e profundo
Que parece não ter fim

O tempo vai passando
Enquanto por dentro desmorona
Por fora calmaria aparente
Leve sorriso deprimente

Vazio perturbador
Se estende em pleno torpor
Transparente de nada a dizer
Apenas deixando-se ver
O vento soprar as horas
E derreter longas tardes e auroras
Sem nunca chegar
Ao fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Receba em seu Email os novos Posts publicados aqui

Postagens Mais Procuradas