22 de nov de 2015

Nuvens Soturnas

Nuvens Soturnas
(LunA Daimon)

O belo não é tão belo,
A água não é para beber,
A noite não é para dormir.
Visão diferente de mundos "iguais".

A cada novo amanhecer,
Uma nova oportunidade,
De ser: única!

Tão única que as palavras,
Se tornam incompreensíveis!
Ninguém entende,
Ninguém concorda,
Ninguém enxerga!
Como realmente a vida funciona!

Meu mundo,
Mundo de todos,
Ao mesmo tempo,
De ninguém!

Pois todos querem todos!
E eu só quero um alguém!
Que possa soprar para longe,
Estas nuvens soturnas.

Sopre-as para longe de mim!
Deixe-me sorrir!
Pois não há mais nada aqui,
Para me completar.
E fazer passar,
Este vazio existencial.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Receba em seu Email os novos Posts publicados aqui

Postagens Mais Procuradas