23 de ago de 2015

Poesia: Quem dera.




Quem dera
(LunA Daimon)

Queria eu ter alguém para entregar,
Rosas como esta
Todas as manhãs.
E me perder em sorrisos,
E afagos sem fim,

Esse alguém que me faça,
Voltar a acreditar,
Na beleza do esplendor,
Do que é amar de forma inocente.

Alguém forte o suficiente,
Para tolerar,
Exigências intermináveis,
Deste meu modo egoísta de amar.

Ah, quem me dera!
Mas não há.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba em seu Email os novos Posts publicados aqui

Postagens Mais Procuradas