12 de abr de 2014

Gritos Internos


Gritos Internos
(LunA Daimon)


Afundada e perdida
Em um limbo abiçal
Ouço o estilhaçar da esperança
Abandonada e jogada
Perto das cinzas do umbral

Tentando abrir os olhos
Dos cegos lamuriosos
Que se encontram junto aos meus
Triste olhar

Só ouço gritos demorados
De corações torturados
Que repetem este cruel
Ato de amar

Amam e desamam
Iludem-se e são desiludidos
Trazendo um ódio repentino
Entregam-se sem pensar

Se movem nas areias do tempo
Trazendo para dentro de si
Aquele tormento
De querer desistir de tudo,
Ou apenas de ficar.

Gritos Internos
Rudes ou silenciosos
Demonstrados
Em atos singelos ou incógnitos
Nos fazem deslizar.

Pela boca selada,
Fria e congelada,
Das lágrimas que caíram,
Do vazio observar.

Até quando permanecerei
Neste abismo congelado?
Aguardando ser resgatado
Antes do tempo
Fazer dos meus ossos
Cinzas ao vento.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Receba em seu Email os novos Posts publicados aqui

Postagens Mais Procuradas