2 de fev de 2012

Caneta Caótica






Caneta Caótica

Querida caneta
Caneta querida
Que descreve e escreve
Experiencias de toda uma vida.

Caneta caótica, gélida e firme
Perde-se nas linhas
Quilométricas e íngrimes.

Dançando na escuridão,
Perdida num oceano de emoção,
Destemida vai além da ilusão.

Tinta obscura,
Manchando sem razão,
Amenizando tantas dores,
De um belo coração.

Apagando com seus rabiscos,
A tristeza em respingos,
Salgados e amargurados,
Largados e indesejados,
Em fim riscados,

Do livro,
Chamado,
Vida.

Um comentário:

Seguidores

Receba em seu Email os novos Posts publicados aqui

Postagens Mais Procuradas