28 de nov de 2011

Sentido de Vida


Saudações meus caros leitores.
Recebi um vídeo muito interessante do meu amigo Alone, cujo qual, me fez refletir bastante e trazendo assim uma certa inspiração.

Para aqueles que possuem internet rápida, assistam ao vídeo acima e reflitam sobre o que este vídeo quer mostrar.

Respondendo a pergunta: Vemos aqui uma garotinha com uma mala nas mãos. Garotinha que caminha tristemente para longe de algum local ruim.
A letra trata a respeito da Busca pelo Sentido da Vida.
Existem épocas na nossa vida, que estranhamente nos faz pensar: Qual o sentido de trilhar "X" caminho ?  Qual o sentido de permanecer com "X" pessoa? Qual o sentido de tudo isso ?
Quantas vezes algo grita lá dentro buscando algo ? Uma "luz", uma direção, um conforto ...

Algumas vezes podemos encontrar este conforto, este sentido nas pessoas. Seja nos amigos ou familiares ou cônjugue. Mas, por experiência própria desencorajo aqueles que buscam o sentido da vida em alguém. Sabe porque?

Por que a vida é ampla! A vida possui centenas de milhares de caminhos diferentes. E quando depositamos nosso sentido em alguma pessoa específica. Será que esta pessoa trilhará os mesmos caminhos que trilhamos ? E então, o que poderá ocorrer?

Portanto, aconselho a encontrar o sentido na própria vida.
O fato de estamos vivos, de podemos sentir o leve vento no rosto, ouvir uma belíssma música, correr pelas areias da praia. O fato de termos a capacidade de escolhermos qual caminho trilhar, o fato de sonharmos, termos metas e sonhos a cumprir.
Tudo isso faz a vida ter um sentido.
Cabe somente a nós desejarmos e VALORIZARMOS tudo que temos a nossa volta.
Basta apenas, SENTIR!
Este sim é um sentido que descarta desilusões.

Reflitam e comentem.
Carpe Noctem.


3 de nov de 2011

Inverno


Inverno


Quando os cobertores
Não aquecem mais
O corpo paralisado
Pela beleza jaz

Ao fechar dos olhos
Cheios de lágrimas
Tremedeira que não passa
Que me deixa angustiada

Inverno este que me assombra
Desejos quentes
Me abandonam
Corpo mumificado
Por gotas de gelo
Solidão esta verdadeira
Serenidade obscura
Paz e desespero

Sequestram a doçura
Do beijo de inverno
Que tira-me do céu
E que me joga ao inferno

Mova-se!
Estou paralisada
Corra!
Estou abismada
Com suas atitudes egoístas
Não farei mais nada.

Corpo e Alma
Separam-se
Desejos da carne
Espalham-se
Envenenando o coração.

O inverno intensifica
Sutil sensação
Frieza tocante
Invoca na escuridão
O vazio sucumbido
Existente e relutante
Persistente e abundante
Da ilusão sem fim.

2 de nov de 2011

Versos e Reversos

Versos e Reversos


Ha versos e reversos
De espíritos inquietos
Com lágrimas nos olhos
Prestes a derramar

Suas vidas arrancadas
Por mãos ensanguentadas
Nos cantos abandonados
Ou jogados no proprio lar

Hoje perambulam
Sem corpos pelas ruas
Tocando aqueles
Que podem se comunicar

Com o que restou
De seus corpos translúcidos
Vagueiam como leve brisa
Vem e voltam
Como as águas do mar

Buscando a vingança
Ou alimentando a esperança
De algum dia encontrar
A paz perdida.

Versos e reversos
Riscados e alterados
Sonhos embaralhados
Espíritos a clamar
Pela paz perdida.

Receba em seu Email os novos Posts publicados aqui

Postagens Mais Procuradas