24 de ago de 2011

Abismo do Grito




Abismo do Grito

Palavras proferem a doçura desejada
Junto a ela uma estaca
Pontiaguda e afiada

Esconde-se entre as amizades
Como fantasma
Máscaras encobrem a realidade
Pura falsidade
Degradada

"Vamos caminhar pelas pontes mais altas
Correr entre as correntes enferrujadas
Se caíres te salvarei
E não acontecerá nada"

Caindo estou
Ao chão cheguei
Espinhos e espadas
Cortaram a confiança que lhe dei

Junto a ela a esperança
De que existe a pureza
E a inocência
Em um doce olhar
Pequena criança
Que deixa a desejar

Rosto angelical
Sorri ao empurrar
Para o abismo mais escuro
Olhos a se fechar

Para suas mentiras
Estou a vos abandonar
Levando embora vossa alegria
Que obtinhas ao me ver chorar
Em vão

Agora as lágrimas inexistem
Menina do mal
Covas profundas cavam
Para caber todas as suas mentiras
Em seu funeral

Cova que chega ao inferno
Que a puxa para seu fim
Abismo do grito
Sangue e Jasmim
Eternos a ti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Receba em seu Email os novos Posts publicados aqui

Postagens Mais Procuradas