17 de out de 2010

Perda da Alma (Poesia)


Perda da Alma.
(17.10.2010 - LunA Daimon)

O que são estas palavras
Tão frias como estacas de gelo
Seus sentimentos não o aquecem mais
Seu olhar perdeu o brilho diamante
Seria fingimento ou desespero?
O que o torna tão distante
Seria esse abismo sem fim?
Que habitas em seu ser
Que o deixa tão caído assim.

O calor das palavras
São petrificados com desprezo
A cordialidade fora perdida
Não possui mais desejos
Alma angustiada
Sofrida calada
Pessoas abandonadas
Arrogância fixada
Em sua língua cortada.

E então sua alma grita:
Silêncio!
Deixe-me morrer
Silêncio
Quero desaparecer
Pois nada mais me faz ter
Sentido.

Perda da Alma
Sonhos de vidro
Despedaçados
Pela inércia
Este é seu novo abrigo
Que escolheras.
A dor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba em seu Email os novos Posts publicados aqui

Postagens Mais Procuradas