18 de mar de 2009

Equinócio de Outono (Hemisfério Sul)




Equinócio de Outono (Hemisfério Sul)


Dia 22 de Março, inicia-se o Outono aqui no hemisfério sul.
Na bruxaria, comemora-se o Sabá de Mabon. Os dias e as noites se tornam iguais e o Deus é o ancião, se prepara para partir. As folhas começam a cair, a Natureza se prepara para a chegada do inverno.

Mabon ou Alban Elfed é o oposto de Ostara, onde os mistérios da vida e da morte se fazem presentes outra vez. Este é o Sabá do equilíbrio, época de refletir tudo que foi plantado e tudo que foi colhido até então.

Época ideal para banimentos, pedir proteção para as pessoas que amamos.

No Panteão Celta, Mabon é conhecido como Angus, Deus do Amor.

Enquanto na Bruxaria comemora-se o Sabá de Mabon, já na Astrologia dia 21 para 22 de Março inicia-se o Ano Novo Astrológico, considerado o verdadeiro Ano Novo. Onde termina o signo de Peixes e inicia-se o signo de Áries.
Muitos ocultistas acabam por realizar um ritual ligado a Mitologia Grega, que é a Mitologia que trata de Deméter, que faz parte das festividades do Hemisfério Norte, que é o Equinócio de Primavera.


Tabela de direcionamento

Data: 21 de Março (Hemisfério Sul) e 22 de Setembro (Hemisfério Norte)
Nomes alternativos: Mabon, Colheitas dos vinhos, Banquete de Avalon.
Cores: Laranja, vermelho, marrom, verde e amarelo.
Símbolo: Maçã, abóbora, cornucópia.
Deuses: da colheita, Deuses Velhos e principalmente Mabon, o Deus Celta do Amor.
Cristais: ágata, lápis-lazúli, safira, cornalina
Alimentos: derivados de milho, trigo e todos os tipos de raízes e sementes como cenouras, batatas e nozes.
Bebidas: Vinhos, sucos de frutas e o consume
Frutas: Maçãs e romãs
Incenso: mirra, benjoim e sálvia.



Em fim, desejo a vocês leitores (as), boas festividades !!! Deixo aqui para quem aprecia estas festividades o Ritual de Mabon. .
.
.
.
.


Ritual de Mabon
.
.
.
.
Arquétipos: segunda colheita e cornucópia de graças.
Símbolos: cor vermelha e marrom, trigos, grãos e folhas secas.
Incensos: benjoim, mirra ou sálvia.
Material necessário: folhas secas de carvalho ou de vários tipos.
Coloque sobre o altar a Cornucópia da Prosperidade, ramos de trigo, cipreste e espigas de milho. Arrume o altar e coloque a cesta de folhas. Acenda as velas e o incenso e abra o Círculo.
Diante ao altar, erguendo a cesta de folhas e espalhando-as dentro do Círculo, diga:
.
.
.
.
.
"Folhas caem.O dia esfria.
A Deusa puxa seu manto
Sobre a Terra a seu redor,
Enquanto o Grande Sol,
Caminha em direção ao Oeste.
Para a terra do eterno encantamento,
Envolto no frescor da noite.
As frutas amadurecem,
As sementes caem,
As horas do dia e da noite se equilibram.
Ventos frios sopram do norte num lamento.
Nesta aparente extinção do poder da natureza,
Ó Deusa abençoada, que a vida continue.
Pois não há primavera sem a segunda colheita,
Assim como não há vida sem a noite.
Abençoado seja, ó Deus caído.
Enquanto viaja para as terras do inverno
E para os braços amorosos da Deusa.
.
.
.
.
"Deposite a cesta e diga:
.
.
.
.
"Ó Graciosa Deusa da fertilidade, semeei e colhi
Os frutos de meus atos, bons ou ruins.
Conceda-me a coragem para plantar sementes de prazer
No ano vindouro, afastando a miséria e o ódio.
Ensina-me os segredos de uma existência sábia
Neste planeta, luminoso ser da noite!
.
.
.
.
.
"Celebre com banquete simples e finalize o ritual fechando o Círculo


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba em seu Email os novos Posts publicados aqui

Postagens Mais Procuradas