27 de dez de 2008

Poesia

Poesia
( LunA Daimon)

Minha alma ecoa
Ruídos deprimentes
A espera de ouvir sua voz uma vez mais
Diga-me o que lhe causa esse silêncio
Diga-me o que lhe torna tão distante
Em alguns momentos
As estrelas esconderam seu brilho?
Coração de carne agora de vidro
Em cores fantasmagóricas
Deslizam lágrimas
Guardadas por tantas lembranças
Vividas
Olhares sem vida
Mãos tão geladas
Se perdem em tempos negros
Em tempos cinzas
Derrame suas lágrimas em meu peito
Para que não se afogue
Nesse mar e tormento Oculto
Se perca em meus braços
E saiba que por mais escuro
Que seu mundo esteja
Estarei no meio do abismo
Quando você cair
Para te segurar.

11 de dez de 2008

Mundo Pessoal - Aprendizado


Mundo Pessoal – Aprendizado


Cada pessoa tem um Mundo Pessoal e vivenciou inúmeros acontecimentos no decorrer dos anos.
Por mais que um indivíduo julgue que ninguém o compreende, que seus problemas somente ele sabe o que passou. Eis onde reside o engano.

Apesar de cada pessoa ser única, e viver em “mundos” diferentes, os problemas serão sempre iguais. E um desses problemas que considero o “vírus planetário” é o recusar ajuda, por achar que ninguém o entende. Desta forma impossibilita aqueles que quer ajudar e acaba por fim contribuindo para causar mais problemas ao mundo por inteiro.

Enquanto houver uma sociedade que recusa ajuda, que não deixa ninguém se aproximar, que teme a verdade do porque que possui tantos problemas em suas vidas pessoais. O planeta continuará padecendo de depressão, raiva, angústia, infelicidade, pobreza, doenças e solidão.
Aprendi que infelizmente ainda existem grupos de pessoas que gostam de sofrer. Aquele que recusa ser ajudado apesar de afirmar que se sente bem por viver daquele jeito, na realidade adora viver de forma negativa, adora sofrer. Cultiva sentimentos de tristeza, de sofrimento, de raiva e mostram para outras pessoas que assim levam a vida.Grupos de pessoas que sofrem e estão viciadas em sofrer e se vitimizam aos olhos dos outros o tempo todo.

Assim, vivem reclamando para outras pessoas ou ficam em silêncio reclamando para si mesmas: “Porque minha vida é assim? Eu odeio tanto esse mundo! Sinto-me tão depressiva, quero sumir daqui.”

Com tantos sentimentos baixos que cultivam todos os dias, os impossibilitam de tomar uma atitude que grande parte tem medo: MUDAR.

Mudar a forma de pensar dos problemas e encarar a realidade de frente.
Mudar os atos, começar a agir diferente.

Quem recusa ser ajudado devia admitir que foi a própria pessoa que gostava de que todos a olhassem com dó e que ela própria nunca se amou.

Não adianta exigir ser amado se você mesmo não se ama. E quem se ama, se cuida, busca ajuda e por mais que uma verdade doa, aprende que melhor aceitá-la para mudar, do que viver eternamente nesse sofrimento.

Se você não quer mudar para melhor, admita, tu gostas de sofrer. E não reclame disso.
E se você quer mudar, porque continua fazendo o que sempre fez?
Querer é Poder sim.

Para quem diz que “Querer não é Poder”, é porque apenas quis e não traçou metas para lutar e alcançar. E se traçou metas e tentou e não conseguiu, é porque não lutou o suficiente. Porque desistiu?

Quem quer de verdade faz de tudo para conseguir e se torna uma pessoa imensamente realizada. E não adianta dizer que vai mudar e após três semanas ou três meses voltar a fazer o que sempre fazia: reclamar, estagnar, e dizer que nunca tem tempo para fazer algo diferente. Ou então, dizer que quer mudar, e tudo ficar apenas em palavras, ou seja, falsas promessas.

Não adianta dizer que você é diferente de todas as pessoas. A diferença está em fazer a diferença. E quem adora se depreciar e viver na dor, por fim, acaba se tornando igual a todos.

Uma história de um Livro - O Guardião do Umbral



Edward Bulwer Lytton(O Guardião do Umbral - Zanoni)

“Glyndon colocou a sua lâmpada ao lado do Livro, que ainda estava ali aberto; virou umas folhas e outras, porém sem poder decifrar o seu significado, até que chegou ao trecho seguinte:
‘Quando pois o discípulo está desta maneira iniciado e preparado, deve abrir a janela, acender as lâmpadas e umedecer as suas fontes com o Elixir. Mas que tenha cuidado de não se atrever a tomar muita coisa do volátil e fogoso espírito. Prová-lo, antes que, por meio de repetidas inalações, o corpo se haja acostumado gradualmente ao extático líquido, é buscar, não a vida, mas sim a morte.’

Glyndon não pôde penetrar mais adiante nas instruções; pois aqui as cifras novamente estavam mudadas.

O jovem pôs-se a olhar fixa e seriamente em redor de si, dentro do quarto. Os raios da Lua entraram quietamente através das cortinas, quando sua mão abriu a janela, e assim que a sua misteriosa luz se fixou nas paredes e no solo da habitação, parecia como se tivesse entrado nela um poderoso e melancólico espírito.

O jovem preparou as 9 lâmpadas místicas em torno do centro do quarto, e acendeu-as, uma por uma. De cada uma delas brotou uma chama de azul prateado, espalhando no aposento um resplendor tranqüilo, porém ao mesmo tempo deslumbrante. Essa luz foi-se tornando pouco a pouco mais suave e pálida, enquanto uma espécie de fina nuvem parda, semelhante a uma névoa, se esparzia gradualmente pelo quarto; e subitamente um frio agudo e penetrante invadiu o coração do inglês, e estendeu-se por todo o seu corpo, como o frio da morte.
O jovem, conhecendo instintivamente o perigo que corria, quis andar, porém achou grande dificuldade nisso, porque suas pernas se haviam tornado rígidas, como se fossem de pedra; contudo, pôde chegar à prateleira onde estavam os vasos de cristal; apressadamente inalou um pouco do maravilhoso espírito, e lavou as suas fontes com o cintilante líquido. Então, a mesma sensação de vigor, juventude, alegria e leveza aérea, que havia sentido pela manhã, substituiu instantaneamente o entorpecimento mortal que um momento antes lhe invadira o organismo, pondo em perigo a sua vida.
Glyndon cruzou os braços e, impávido, esperou o que sucederia.

O vapor havia agora assumido quase a identidade e a aparente consistência duma nuvem de neve, por entre a qual as lâmpadas luziam como estrelas. O inglês via distintamente algumas sombras que, assemelhando-se, em seu exterior, às formas humanas, moviam-se devagar e com regulares evoluções através da nuvem. Estas sombras eram corpos transparentes, evidentemente sem sangue, e contraiam e dilatavam-se como as dobras duma serpente.

Enquanto se moviam vagarosamente, o jovem ouvia um som débil e baixo, como se fosse o espectro duma voz - que cada uma daquelas formas apanhava de outras e a outras transmitia, como num eco; um som baixo, porém musical, e que se assemelhava ao canto duma inexprimível e tranqüila alegria. Nenhuma dessas aparições reparava nele.

O veemente desejo que ele sentia, de aproximar-se delas, de ser um de seu número, de executar um daqueles movimentos de aérea felicidade - pois assim lhe parecia que havia de ser a sensação que os acompanhava - fez com que estendesse os seus braços, esforçando-se por chamar com uma exclamação, a atenção desses seres; porém somente um murmúrio inarticulado saiu dos seus lábios; e o movimento e a música seguiam, como se não houvesse ali nenhum ser mortal.

Aqueles seres etéreos, semelhantes a sombras, deslizavam tranqüilamente pelo quarto, girando e voando, até que, na mesma majestosa ordem, um atrás do outro, saiam pela janela e se perdiam na luz da lua; depois, enquanto os olhos de Glyndon os seguiam, a janela se obscureceu com algum objeto, ao princípio indistinguível, porém que, por um mistério, foi suficiente para mudar, por si só, em inefável horror o prazer que o jovem experimentara até então. Esse objeto foi tomando forma.

Aos olhos do inglês parecia ser uma cabeça humana, coberta com um véu preto, através do qual luziam, com brilho demoníaco, dois olhos que gelavam o sangue em suas veias. Nada mais se distinguia no rosto da aparição, senão aqueles olhos insuportáveis; porém o terror que o jovem sentia, e que ao princípio parecia irresistível, aumentou mil vezes ainda, quando, depois duma pausa, o fantasma entrou, devagar, no interior do quarto. A nuvem se retirava da aparição, à medida que esta se aproximava; as claras lâmpadas empalideciam e tremeluziam inquietamente, como tocadas pelo sopro do fantasma.

O corpo deste ocultava-se debaixo dum véu, como o rosto; mas por sua forma adivinhava-se que era uma mulher; não se movia como o fazem as aparições que imitam os vivos, mas parecia antes arrastar-se como um enorme réptil; e, parando um pouco, curvou-se por fim ao lado da mesa, sobre a qual estava o místico volume, e fixou novamente os seus olhos, através do tênue véu, sobre o temerário invocador.

O pincel mais fantástico e mais grotesco dos monges-pintores medievais, ao retratar o demônio infernal, não teria sido capaz de dar-lhe o aspecto de malignidade tão horrível, como se via nesses olhos aterrorizantes.

O corpo do fantasma era tão preto, impenetrável e indistinguível, que lembrava uma monstruosa larva. Porém, aquele olhar ardente, tão intenso, tão lívido, e não obstante tão vivo, tinha em si algo que era quase humano em sua máxima expressão de ódio e escárnio...

Por fim, este falou, com uma voz que antes falava à alma do que ao ouvido: - Entraste na região imensurável. Eu sou o Espectro do Umbral. Que queres de mim? Não respondes? Temes-me? Não sou eu a tua amada? Acaso, não tens sacrificado por mim os prazeres da tua raça? Queres ser sábio? Eu possuo a sabedoria dos séculos inumeráveis. Vem, beija-me, oh meu querido, querido mortal! ...

E enquanto o horroroso fantasma dizia estas palavras, arrastava-se mais e mais para perto de Glyndon, até que veio a pôr-se a seu lado, e o jovem sentiu em sua face o alento do espectro. Soltando um agudo grito, caiu desmaiado ao chão, e nada mais se soube o que ali se passou...”

27 de nov de 2008

Pessoas Otimistas


Pessoas Otimistas

Olá, caro(a) leitor(a).
Hoje quero deixar-lhe reflexivo(a) sobre: Pessoas Otimistas.
Reflita nestas perguntas:

Como você se sente quando uma pessoa sorri sinceramente a você?
Quando você se sente irritado(a) ou teve um péssimo dia e alguém chega até você com toda simpatia e atenção lhe dando ouvidos e conselhos transformando toda aquela sensação ruim em um agradável bem-estar. É ótimo, não é mesmo?

Sim, com absoluta certeza é maravilhoso estar ao lado de pessoas que nos faz feliz, que nos dão valor, atenção, bons conselhos e bem-estar.

É desse tipo de pessoas que o mundo necessita!

O que achas de você fazer parte desse grupo de pessoas otimistas?

Tenho certeza que se cada um começar a ser mais otimista, toda aquela sensação de peso some. E soluções surgirão com mais intensidade.

Pessoas otimistas pensam assim:

- Por mais problemas que tenham ou enxerguem sempre estão fazendo de tudo para estarem animadas.
- Por onde passam ou estejam, transmite sensação de tranquilidade as pessoas.
- Por mais negativo e trágico que seja uma situação, sempre encontrará algum aspecto positivo e fará com que esse aspecto positivo se destaque muito mais do que o que há de negativo.
- Pessoas otimistas ao falar com alguém, faz de tudo para falar de assuntos bons, sempre visando o lado bom de tudo.
- Evitam reclamar ou fofocar da vida dos outros.
- Se não tem nada de bom a dizer, prefere se calar do que mal dizer.
- São simpáticas e atenciosas.


Puxa vida, é muito bom ter pessoas assim ao nosso lado! Do que ter que ouvir somente reclamações a todo instante.

Problemas todos temos, sim! Problemas estão aí para serem superados e não para serem adorados e lembrados todos os dias.

Viver se "matando" de preocupações, gera estresse extremo. Mas cada um de nós temos a opção de tentarmos tranquilizar a nossa mente e perseverar no que desejamos alcançar.

Melhor sermos otimistas para conseguirmos alcançar as soluções, do que sermos pessimistas e viver com problemas de má saúde devido ao estresse demasiado, fora que fica sobrecarregando os outros. E tenho certeza que conviver com uma pessoa que só sabe reclamar todos os dias, vai chegar uma hora que tu acabarás por se afastar.

Então, sejas otimista! Simplesmente uma pessoa admirável.


Abraços

Distanciamento


Distanciamento

A cada dia que passa, se você prestar bastante atenção, notarás um certo distanciamento que ocorre entre as pessoas. A cada dia está aumentando, quanto mais pessoas conhecemos mais sozinhos nos sentimos.
Porque?
Por causa das mudanças.

Mudanças energéticas, mudanças financeiras, mudanças em todas as áreas da vida. Tantas mudanças de uma só vez, que juntando tudo acaba gerando estresse, desânimo, cansaço e as vezes depressão e claro, causando essa sensação de distanciamento.
Só que não é apenas uma sensação, a realidade é que quando os problemas nos afetam seja diretamente ou indiretamente, acabamos por nos afastar das pessoas queridas sem notarmos isso.
Se continuar desse jeito, se nenhum de nós fizermos algo parar mudar essas sensações ruins, a tendência é cada um viver seu mundo solitariamente.
Vamos lutar para mantermo-nos animados, por mais complicado esteja viver, por mais catástrofes que apareça. Nos esforcemos para mantermos contatos com as pessoas que gostamos e admiramos. Pois um futuro desolado e deprimido só levará a desgostos e criará somente mais problemas.

O que achas de se animar? Antes de reclamar, tente. Se nada conseguir, persista, pois uma hora há de vir bons resultados.

Abraços

25 de nov de 2008

Amizade Gélida


Amizade Gélida
( LunA Daimon -26/06/08)
Mórbido é o estado em que te encontro
Ouvindo tua mente gritar
Fazendo estilhaçar os vidros da minha alma
Vejo a vida se esvaindo
Daqueles que cruzam teu negro caminho
Amargo néctar
Veneno se perdendo
Na Essência psicótica eufórica
Causando delírios e medo
Em pessoas imperdoáveis
Já para amigos admiráveis
As nuvens escuras se tornam apreciáveis
Sua simpatia se torna presente
A solidão se afasta repentinamente
As correntes soturnas se unem
Selando definitivamente
Com Fogo, Sangue e Ouro
Nossa Gélida Amizade.


20 de nov de 2008

Os Poderosos

Os Poderosos
( LunA Daimon)

Poderosos reunidos
Todos engravatados
Sentados em volta de uma mesa redonda
Sedados por bilhões de peixes
Onças pintadas
Pirâmides e novas caras
Fingindo preocupar-se com as desgraças
Que centenas de pessoas vivenciam
Enquanto se divertem com a pobreza
Planejam assassinar aquele que deseja
Valorizar de verdade a nossa Mãe Natureza
Obscura realidade
É o que ocultam
Dos ouvidos dos leigos
Escondendo a informação
Dentro de um lugarejo
Que comanda a destruição
Em massa
Impedindo a reconstrução
Das leis sensatas
Onde a única lei consiste
Em destruir e mentir
Sempre ameaçando
Quem quer ajudar
É morrer ou agir
Com as velhas leis
Impostas e juradas
Pelos Poderosos.

18 de nov de 2008

Pequenos Atos Grandes Valores


Pequenos Atos Grandes Valores


Andei percebendo que a sociedade de modo geral anda passando por muitos problemas, sejam eles financeiros, afetivos, de saúde, de família.

Faltam-lhes incentivo de vida, uma dose reforçada de ânimo, fé, persistência e paciência.
Muitos se apegam nos amigos e quando os perde o “mundo se acaba”. Alguns se apóiam no dinheiro, quando se acaba alguns se suicidam.

Deu para notar que são apegos materiais?
Devemos nos apegar em tudo que for “abstrato, intocável e duradouro.” Quer uma dica? Se apegue na VIDA.

Quando alguém se apega na vida, fará de tudo para cultivá-la de forma profunda. Quer algo mais precioso do que viver? Não tem.
Infelizmente existem pessoas que só se sentem realizadas com coisas grandes, como por exemplo: 1 milhão de dólares, mil mulheres (ou homens), limusine, mansão, iate, Poder, fama e assim por diante. E quando perdem tudo isso, junto se esvai a força de viver.

O segredo para ter força para viver encontra-se em cultivar, apreciar, admirar as pequenas coisas que a vida oferece como exemplo:

Um novo dia que nasceu, uma chuva refrescante que caiu, um abraço inesperado de alguém, um pequeno elogio vindo de alguém, estar ciente que você tem saúde hoje, pode andar ouvir, falar, criar algo novo!

Pequenos prazeres da vida que quando acumulados farão enorme diferença. E desta forma aumentará cada dia mais sua força de viver.

Não existem pequenas coisas. O que existe são pessoas que enxergam e pensam pequeno. =)

Se algo está ruim na sua vida, mude seus atos para que assim mude os resultados.
E se você não agir, nada acontecerá e a Força de vontade para viver desaparecerá o levando a depressão ou desânimo profundo.

Por isso meu caro leitor (a), MOVA-SE! Valorize pequenos atos. Faça a diferença HOJE. Simplesmente MUDE.

Um Grande Abraço.

29 de out de 2008

Desvendando o Oculto - Ponto de Equilíbrio


Desvendando o Oculto - Ponto de Equilíbrio

Esta imagem representa cada um de nós em busca de respostas. Mas para encontrar as respostas que procura é necessário encontrar primeiro o ponto de equilíbrio que existe dentro de você. Este ponto de equilíbrio você só encontrará através da quietude mental e física, da tranqüilidade emocional, por mais que esteja vivenciando situações conflitantes.

Realmente vivemos em um mundo em que constantemente o estresse toma conta de cada um de nós. Mas se faz necessário nem que for uma vez por semana tirarmos um tempo para nós mesmos. Sem tecnologia, sem multidão de pessoas, músicas, barulhos e preocupações. Apenas você e a calmaria.


Através da meditação e o desligar-se dos problemas no momento em que medita, buscando sentir uma grande paz e conforto interno, você conseguirá encontrar todas as respostas. Sei bem o quanto é estranho isso no início, só que a mente tumultuada de preocupações tranca todas as idéias que você podia ter. Juntando com o estresse emocional faz com que entre em um colapso nervoso a ponto de "jogar tudo para o alto." Desta forma criando mais problemas.

Quando se consegue entrar em estado de meditação profunda, a mente e o corpo relaxam por completo, toda energia que possui em seu corpo flui livremente causando uma sensação de alívio e grande conforto. Quando se desliga de todas as preocupações enquanto medita, surgem imagens, "flashes" na mente. E muitas das vezes são esses "flashes" que conterá todas as soluções de que necessitava.

Você deve estar pensando: "Mas terei que ficar sentado igual os monges recitando aqueles mantras todos?" Não. Não precisará de nada disso. O que você precisará fazer é apenas sentar-se como desejar ou deitar-se caso se sinta melhor assim. Fechar os olhos e prestar atenção na sua respiração. E ir esquecendo todas as preocupações. Esvaziar a mente. Apenas isso.

Para aqueles que meditam com uma boa freqüência, conseguem descobrir grandes capacidades em si próprio que estavam sendo ocultadas pelo estresse e barulho constante. Descobrem que possuem uma grande força interna, despertam a vontade de viver, sentem que são capazes de alcançar grandes objetivos e realmente alcançam.

Cada um de nós tem uma ferramenta maravilhosa chamada: A Mente. É aí que reside o ponto de equilíbrio. É através da mente que podemos desvendar tudo que está oculto dentro de nós. Apenas precisamos saber usá-la. E apenas com a quietude poderemos encontrar as respostas que tanto queremos.

As pessoas podem sim nos ajudar bastante, mas a verdadeira resposta só irá encontrar dentro de si mesmo.


Espero que você encontre o que procura.

Boas reflexões.

23 de out de 2008

Presente - Passado - Futuro




Presente - Passado - Futuro

Ambos caminham juntos.
Tudo que você fizer HOJE (presente) se tornará ONTEM (passado) e influenciará AMANHÃ (futuro).

Muitas vezes queremos voltar ao passado para consertar nossos erros, só que nos esquecemos que se tentarmos voltar ao passado acabaremos por deixar de criar nosso próprio futuro. Quando voltamos ao passado esquecemos que temos 24 horas para viver nosso presente. Desta forma o tempo vai passando, passando e passando sem percebermos que poderíamos ter feito algo novo E quando vamos nos dar conta de quanto tempo passou, ja envelhecemos. E então? É tarde demais.

Queres mudar seu passado? Comece mudando seu presente(HOJE). Assim daqui alguns anos você poderá olhar para trás pelo menos 1 vez e ver todos os frutos que havia plantado e que estará a colher.
As pessoas tem uma mania muito incoerente de criticar o que fizemos a vida toda, elas se esquecem que HOJE temos mais uma chance de mudarmos nosso passado através de nossos atos agora(presente).
Então, não deixe que as críticas lhe atinjam, o impeçam de prosseguir, de criar um NOVO FUTURO!

Quando alguém lhe criticar por teus feitos do passado olhe gentilmente para esta pessoa e diga: "É verdade! Eu fiz tudo aquilo, pois eu não sabia de nada do que sei hoje. Porém, HOJE estou aqui e acordei mais uma vez HOJE tenho mais uma chance de mudar, então esquece o que fiz e quem fui, por que daqui em diante serei outra pessoa. Apenas aguarde. Daqui alguns anos tudo será diferente."

E apartir deste dia, mude teus atos, pois "O Tempo não Pára", cada segundo está correndo, e o que você está fazendo agora? O mesmo de sempre? Se está a fazer o mesmo de sempre, PARE e mude. Mude algo para que amanhã não lhe cobrem! Para que amanhã não lhe julguem novamente. Para que amanhã você fique feliz consigo mesmo.

Vamos deixar o passado para trás! Por mais que ele insista em voltar, olhe apenas para frente! E caminhe para uma nova direção.


"Não deixe que a saudade do ontem e a incerteza do amanhã impeça de viver o dia de hoje."

Abraços.

20 de out de 2008

O Poder Pessoal - Self das Sombras


O Poder Pessoal - Self das Sombras
Cada um de nós temos Poder Pessoal, porém poucos são aqueles que conseguem lidar com este poder.
Quantas vezes acabamos "explodindo" com alguém sem querer? Este é o nosso Self das Sombras. Tudo aquilo que guardamos no decorrer das semanas, meses e as vezes anos. Chega uma hora que aquilo vira uma enorme "bola de neve" e explode bem na hora que mais precisamos ter paciência.
Devemos aprender a lidar com nosso Sel das Sombras, domar esse "monstro" que carregamos. Deixar o orgulho de lado e tirar um dia para fazermos um balanço de QUEM REALMENTE SOMOS.
Se pergunte: Eu tenho raiva de que? Como eu sou verdadeiramente?
É necessário muita sinceridade para consigo mesmo, pois temos o costume de dizer: "Ah eu não sinto raiva de tal pessoa, eu não sou ciumenta(o) ou possessiva(o)." Sendo que somos, e temos o hábito de "guardar no baú e trancar tudo isso." Vai chegar uma hora que esse "baú vai se abrir", e aí quero ver como lidar com isso.
Nosso Poder sai de controle e cometemos atos impensáveis.
O que fazer para trabalhar nosso Self Sombrio?
Este é um trabalho diário, cada segundo temos que ser sinceros e ir liberando um pouco do que carregamos. Pois se deixar acumular, a "bomba vai explodir."
Canalizar toda essa energia para algo útil, agradável, proveitoso.
Utilize música animada para momentos deprimidos e utilize música mais calma e lenta para momentos em que estiveres completamente fora de si ou a ponto de "explodir."
Medite sempre que puder, assim poderás controlar teu Self das Sombras e evitar várias brigas ou acontecimentos que resultam em tragédia.
Precisamos manter o equilíbrio emocional constante, pelo menos fazer o máximo que puder para isso. Fechar os olhos e deixar tudo vir atona na mente. Após isso, tentar compreender o porque que certas situações lhe causam tanto desconforto. O que te falta? O que você realmente pretende adquirir agindo de forma impulsiva? Vai resolver magoando as pessoas que estão ao seu redor? Se vai magoa-las, pra que agir de forma impulsiva? Como você pode mudar isso? O que fazer?
Se questione! E deixe as respostas mais sinceras vir. Desta forma você conseguirá lidar com todo esse estado emocional de forma tranquila e agradável. Pois você pode! Sim, você consegue! Este é o seu poder pessoal, apenas lhe falta colocar em prática. O Poder de fazer mudanças positivas em sua própria vida, melhorando aspectos da sua personalidade. Desta forma, alcançando grandes metas.
Medite.
Abraços.

15 de out de 2008

ELEMENTOS


ELEMENTOS
( LunA Daimon - 14.03.2008)
Quero voar como uma águia, livre de tudo.
Sentir o vento da liberdade
Livre das mentiras tóxicas do homem
Livre do medo de ser feliz
Já ouvi muitas histórias que o Vento me contou
De muitas casas que ele derrubou
Fortes tempestades que limpou
Purificou o Nosso Planeta.
Quero ser um Vulcão
Para dormir por tantas décadas, séculos
E quando acordar poder construir novos caminhos
E aquecer o coração da Terra.
Queimar todo o mal que foi feito
Para poder dormir por mais 100 anos tranquilamente
Consciente que tudo recomeçará.
Quero ser o mar
Cuja água seja das mais cristalinas
Para que eu possa mostrar ao homem a beleza e a delicadeza que existe em mim
Mas que posso me enfurecer e fazer sumir cidades inteiras
E devolver toda a sujeira que jogaram em minha Pura Alma
E tornar vivo e puro de vez nosso lindo lar.

A Terra.

13 de out de 2008

Olhos


Olhos
( LunA Daimon)

Olhe para estes olhos
E decifre meus pensamentos
Enfrente teus medos
Consegue sentir minha presença?

A lâmina está afiada
Os dentes dançam em seu pescoço
Irresistivelmente tuas forças foram levadas
Feche teus olhos
Tua mente foi invadida


Lhe contarei um segredo
Tua alma foi marcada por mim para sempre
Durma em paz

Catedral do Medo

Catedral do Medo
( LunA Daimon)

Criança Mortal
Venha até meu templo e deixe tua vida
Em minha homenagem
Hoje os sinos das catedrais do medo tocarão
Iniciando um novo caminho
Hoje as velas queimarão tua doce alma
Sim hoje as sombras invadirão esta casca que carrego
E me preencherá de Poder
Venha até mim e celebre comigo
A vida Eterna.

Catedral do medo
Deixará as correntes destrancadas
Libertem-se esta madrugada
E voem em busca de êxtase
Por mais que se esconda
Lhe encontrarei
Prepare-se
Estou chegando.

11 de out de 2008

Incompreensão e Julgamento


Incompreensão e Julgamento

Pretendo falar hoje sobre incompreensão e julgamento.


Não sei se você meu caro leitor já passou por situações em que você falou a verdade, mas a pessoa que estava te ouvindo não te compreendeu e ainda acabou te julgando errado.
Isso é muito comum de acontecer, falarmos a verdade e a pessoa com quem falamos achar que estávamos mentindo. É compreensível que hoje em dia poucos falam a verdade, porém, sei que ainda existem pessoas sinceras.


Agora, o que fazer diante de uma situação como esta?
Quem é taxado de mentiroso mesmo não mentindo, sabe o quanto é ruim passar por isso. A primeira reação que temos é nos irritarmos. A segunda reação é nos entristecermos, afinal, quando duas pessoas se conhecem há anos é triste uma achar que a outra ta mentindo, sendo que nunca se deram motivo para mentirem uma para outra, não é mesmo?


Bom, o que fazer?
Apenas deixar a pessoa que lhe julgou errado pensar. Pois tenho certeza que ninguém gosta de ser taxado de mentiroso após ter dito uma verdade. Isso eu chamo de falta de compreensão da parte de quem julga.

O que você faria se após você dizer uma verdade e o ouvinte rapidamente te chama de mentiroso (a)? Você ficaria feliz em ouvir isso de um amigo que você confia e sempre transmitiu confiança? Ou até mesmo se o seu namorado (a) fizesse isso, quem estaria errado? Penso que devemos desenvolver total compreensão e NOS COLOCARMOS no lugar de quem está conversando conosco para podermos SENTIR o que realmente a pessoa sente, e assim compreendermos.


Vamos colocar a mão na consciência e nos questionarmos: “Eu gostaria que me julgassem gravemente e erroneamente? Como eu me sentiria se fosse tal pessoa que falasse isso pra mim? Se eu me sentiria mal por isso, devo de agir assim?”
Bom, é isso.

Vamos pensar, nos questionar antes de julgar nossa família, nossos amigos, ou seja, lá quem for que convive com a gente. Desta forma evitaremos brigas infantis.



8 de out de 2008

Valorização Alheia


Valorização Alheia

Bom, hoje resolvi falar um pouco sobre Valorização alheia.

Vivemos em um mundo bastante turbulento, quase não temos tempo para nós mesmos, para descansarmos e repararmos no que está a nossa volta. E muitas vezes exigimos daqueles que convivem conosco atitudes que nem se quer nós mesmos tomamos, como por exemplo - valorizar os atos destas pessoas. Exigimos que as pessoas valorizem nossos feitos mas, para que exigir isto delas se nem nós mesmos as valorizamos, não é mesmo? Posso citar vários exemplos, mas citarei o mais comum:


Alguém da sua casa arruma a casa inteira, deixa tudo brilhando. Lava tuas roupas, faz o almoço e a janta, arruma teu quarto. Você simplesmente entra e ainda reclama que a pessoa está cansada; (isso é desvalorizar o serviço feito).



Exigimos que as pessoas valorizem nossos feitos mas não valorizamos o que elas fazem. Penso que isso devia mudar, começando por nós mesmos.
O serviço de casa, por exemplo, é muito cansativo fazer. Só quem vive sozinho e NÃO TEM UMA EMPREGADA sabe do que estou falando.

Então, vamos parar de reclamar demais, pois bem ou mau ainda tu tens quem faça. Contudo, não devemos ficar esperando que nos valorizem, pois correremos o risco de nos decepcionar.

Apesar do nosso dia-a-dia ser muito corrido, faltar tempo para lazer, ou termos dias difíceis que nos tiram do sério. Devemos aprender a deixar isso de lado, pois maltratar as pessoas só por causa que você está irritado é completamente insensato. Pois ninguém tem nada haver com teu mau-humor.
É nessas horas de estresse extremo que deixamos de reparar o que fizeram de BOM para nós. Mas devemos superar isso por mais dificil que venha a ser e agradecermos por tudo que fizeram para nós por mais pequeno e simples que seja, elas fizeram. E o mínimo que podemos fazer é reparar e elogiar, o resto será consequências.

Boas reflexões.

5 de out de 2008

Tempestades


Tempestades
(LunA Daimon)Os céus estão cinzentos
Apenas os ventos gritam a minha dor
Junto à chuva minha alma se pôs a chorar
Em busca de alívio e paz
Encontrando forças
Nas tempestades da natureza
Para vencer as tempestades sentimentais
Que me afogam
Em nada mais quero pensar
Apenas prosseguir e tentando salvar
A Esperança
Que me trás alegria e ao mesmo tempo me machuca
Nesta estrada sem fim.

Agradecimentos


Bom, quero iniciar este Blogger com agradecimento a todos que pediram/desejaram que Eu voltasse a escrever. Espero que gostem dos novos textos e poesias.


Seguidores

Receba em seu Email os novos Posts publicados aqui

Postagens Mais Procuradas